Cartão de crédito novucard

Índice de Transparência: Banco do Brasil supera Itaú, Caixa ocupa última posição

Índice de Transparência: Banco do Brasil supera Itaú, Caixa ocupa última posição

Pesquisa feita com dados públicos pelo novücard identifica o quão transparentes as instituições financeiras são em suas comunicações com clientes.

O novücard lançou em outubro a primeira versão de um estudo sobre a transparência de instituições financeiras utilizando dados públicos. Como era a sua intenção, a publicação do Índice de Transparência novücard incentivou o mercado financeiro a tornar as informações sobre produtos de crédito mais acessíveis. 

Com essas mudanças, foi visto que o patamar de transparência subiu durante o último trimestre, tendo o Banco do Brasil, Cetelem e C6 como líderes. Um exemplo prático dessas mudanças foi vista no site do C6 e do Santander, que após a divulgação do índice de transparência adicionaram mais informações voltadas a esse quesito em suas páginas. 

“Estamos muito orgulhosos que o Índice de Transparência novücard já tenha impactado pelo menos três instituições a se movimentarem positivamente em relação aos seus clientes. Esse é o nosso objetivo e temos a esperança de contribuir cada vez mais com a transparência dos bancos brasileiros”, comenta Brad Liebmann, CEO e fundador do novücard.

Agora em sua nova versão, o Índice de Transparência avalia a flutuação da transparência no mercado no último trimestre. Alterações de notas e posições no Ranking podem ser encontradas na íntegra no ebook disponível para todos abaixo. 

Índice de Transparência do Setor Financeiro no Brasil ebook novücard

O Índice de Transparência novücard é atualizado a cada trimestre e já se encontra em sua segunda edição. Confira abaixo os principais destaques e mudanças da publicação inédita do terceiro trimestre de 2022 em relação ao segundo trimestre.

Principais mudanças em relação ao 2º trimestre de 2022

Ao comparar os resultados da primeira versão do índice com a segunda e atual edição, é possível analisar as evoluções dos bancos em relação aos critérios que são observados.

O gráfico acima representa as mudanças de posição das instituições de uma versão do índice para a outra. Os logos em preto e branco referem-se ao resultado da pesquisa feita no 2º trimestre de 2022 e os logos coloridos referem-se à atual pesquisa, do 3º trimestre de 2022.

Quanto mais próxima a instituição estiver do quartil 1 do gráfico, melhor é o posicionamento dela no Ranking Final de Transparência. Já as instituições próximas ao quartil 4 ocupam as piores posições do ranking. 

O Banco do Brasil, por exemplo, melhorou sua classificação ao disponibilizar em seu site as taxas de empréstimo consignado cobradas. Com isso, o banco tomou o lugar do Itaú como o banco mais transparente do Brasil. 

Já a Caixa, perdeu pontos ao não realizar mudanças positivas no quesito transparência no último trimestre e se tornou a instituição menos transparente do ranking.

O Banco Pan e o Bradesco também caíram no ranking, descendo 6 posições ao deixarem de informar taxas cobradas em empréstimos. Enquanto isso, o Santander subiu as mesmas 6 posições ao começar a informar com mais detalhes as taxas cobradas em empréstimos pessoais. 

Com a crescente procura por instituições financeiras mais transparentes, é possível verificar que alguns bancos estão se empenhando em entregar informações mais claras e de acordo com as praticadas. 

Com a pesquisa desse trimestre, vemos que o nível de transparência no mercado cresceu. Mas ainda existe um grande caminho a percorrer, 5 dos 17 bancos avaliados não divulgam qualquer tipo de informação sobre as suas taxas em produtos de crédito antes da contratação. 

“Surpreendentemente, ainda existem cinco instituições financeiras que quase não divulgam suas taxas de juros ou outros termos importantes antes de um cliente solicitar o produto: Banco do Nordeste, Banco Votorantim, Caixa, Omni e Banco Original.” Liebmann continua: “Tal falta de transparência não é permitida na maioria dos mercados e não deve ser a norma para alguns dos maiores credores do Brasil.”

Como o índice é calculado?

O cálculo para analisar a transparência das instituições é baseado em informações sobre produtos de crédito que têm maior presença na lista de dívidas dos brasileiros como empréstimos, cartão de crédito e rotativo.

A pesquisa leva em consideração 2 categorias: a pré-venda, que analisa as informações disponíveis aos clientes antes da contratação de um produto de crédito. E a pós-venda, que mede o índice de reclamações referentes a transparência das instituições no Banco Central e Reclame Aqui.

Entre bancos públicos, privados e neobancos, foram ao todo 17 instituições financeiras verificadas. Os dados em detalhes, assim como os cálculos realizados, podem ser encontrados no ebook disponibilizado de forma gratuita.

Baixe o Índice de Transparência do Setor Financeiro no Brasil (3 trimestre - 2022)

Caso queira ter acesso à primeira edição do Índice de Transparência do Setor Financeiro no Brasil, baixe aqui a edição referente ao segundo trimestre de 2022.

Outras informações sobre o Índice de Transparência do Setor Financeiro no Brasil, envie um e-mail para [email protected]