Cartão de crédito novucard

Como declarar o IR 2023? Passo a passo do programa!

Como declarar o IR 2023? Passo a passo do programa!

Prazo para entrega da declaração se encerra no dia 31 de maio; veja como baixar e preencher as informações para não cair na malha fina.

Chegou a hora de preparar a declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2023 (IR 2023).

A Receita Federal liberou no dia 15 de março o programa para preenchimento e transmissão do IR 2023 e o prazo final de entrega se encerra no dia 31 de maio.

Neste ano, estão legalmente obrigados a enviar a declaração pessoas físicas que obtiveram mais de R$ 28.558,70 em rendimentos tributáveis no ano-calendário de 2022, ou seja, de janeiro a dezembro do ano passado.

Caso a declaração não seja entregue no prazo limite, há multa.

Já para aqueles que tiverem restituição a receber, vale a pena se antecipar, pois tem prioridade no recebimento quem envia a declaração primeiro.

Neste ano, serão cinco lotes de restituição, pagos a partir de 31 de maio.

O novücard preparou um guia completo com tudo o que você precisa saber para baixar o programa, preencher os dados corretamente e enviar a sua declaração.

Tudo dentro do prazo e sem correr o risco de cair na malha fina.

Baixe o programa da Receita Federal

Para preencher e enviar a declaração do IRPF 2023 é preciso fazer o download do programa oficial deste ano.

O aplicativo de 2022 não é mais válido. Estão disponíveis versões para computador (Windows, MacOS e Linux) e celulares e tablets (Android e iOS).

Escolha qual você deseja baixar:

Quero declarar o IRPF 2023 usando o computador:

Quero declarar o IRPF 2023 usando celular ou tablet:

O download é gratuito. Para baixar as versões para celular ou tablet, é preciso estar logado com a sua conta na loja de aplicativos – Play Store (Android) ou App Store (iOS).

Separe os seus documentos

Agora que o aplicativo está instalado no seu computador, celular ou tablet, é hora de separar a documentação necessária para o preenchimento.

É importante organizar todos os itens com antecedência e ficar muito atento na hora de preencher o formulário.

Afinal, o preenchimento incorreto é passível de multa e gastar dinheiro desnecessariamente é um alerta para o seu controle financeiro.

Crie uma pasta com os seguintes itens:

  • Comprovante de residência atualizado (dezembro/2022);
  • Comprovante de atividade profissional, se houver;
  • Comprovantes de compra e venda de bens;
  • Comprovantes de outros rendimentos, o que inclui aluguéis, heranças, pensões e doações;
  • Comprovantes de gastos com educação, como mensalidade de escolas ou faculdades;
  • Cópia da declaração de IR 2022;
  • Cópias de recibos e notas fiscais emitidas por profissionais autônomos;
  • CPF dos dependentes, se houver;
  • Dados bancários atualizados;
  • Documentos de identificação (RG, CPF e Título de Eleitor);
  • Documentos comprobatórios de rescisões trabalhistas e valores pagos a título de salário, férias, 13º salário e FGTS;
  • Extrato do INSS;
  • Informe de rendimentos, o que inclui pró-labore, rendimentos de instituições bancárias e distribuição de lucros em empresas;
  • Informe de pagamentos a entidades de previdência privada;
  • Recibos de procedimentos médicos e odontológicos.

Dica: use a declaração pré-preenchida

Se você enviou a sua declaração de imposto de renda em 2022 e ainda tem acesso ao arquivo gerado, então pode simplificar bastante a sua vida com a declaração pré-preenchida.

No aplicativo do IR 2023 há a opção de importar esse arquivo, que já traz grande parte dos dados relacionados à documentação preenchidos. 

Tudo que você precisa fazer é atualizar valores, acrescentar itens novos ou excluir itens que já não façam mais sentido.

Esse recurso permite ganhar tempo e evita o preenchimento incorreto de diversos itens, uma vez que eles já foram validados no ano passado.

Escolha o tipo de declaração de IR 2023: simplificada ou completa

Existem dois tipos de declaração de IR: a simplificada e a completa.

Para quem não tem dependentes ou muitas despesas para dedução, a versão simplificada costuma ser mais interessante.

Já para quem tem muitas despesas a deduzir ou dependentes, a melhor escolha pode ser a completa.

  • Declaração simplificada: neste caso, o programa do IR 2023 aplica de forma automática o desconto padrão de 20% no cálculo do Imposto de Renda. Para quem não tem dinheiro a restituir, essa certamente é a opção mais rápida e prática.
  • Declaração completa: neste caso, o desconto é feito item a item. Para quem tem muitos itens a deduzir, esse método pode resultar em um desconto maior no valor de imposto a pagar ou, ainda, em uma restituição mais interessante. 

Você pode simular ambos os cenários e escolher qual é o mais adequado para os seus rendimentos.

Não se esqueça ainda de informar a conta bancária para recebimento da restituição.

São aceitas apenas contas correntes para os depósitos. Já para aqueles que tiverem imposto a pagar, o valor final pode ser parcelado em até 8 vezes.

Preencha as suas informações com atenção

O preenchimento incorreto de qualquer informação é responsabilidade exclusiva de quem declara.

Sendo assim, errar valores, datas ou números de documentos pode resultar em multas.

Da mesma forma, omitir informações também pode fazer com que a sua declaração caia na chamada “malha fina”.

Dados pessoais

Comece a declaração de IR 2023 pelo aspecto mais simples: os seus dados pessoais.

Se estiver importando os dados da declaração do ano passado, revise cada uma das informações.

Números de documentos não costumam mudar, mas endereços, sim. Revise todas as informações.

Dependentes

Se houver dependentes, é preciso informar todos os dados relacionados no campo correspondente, incluindo CPF e rendimentos tributáveis relacionados a cada um deles.

Para os casais, fica a dica de conversarem antes do preenchimento, pois um mesmo CPF não pode ser dependente de duas pessoas diferentes.

Rendimentos

Os rendimentos são divididos em tributáveis e não tributáveis.

Você deve declarar todos eles, mas prestando atenção para que eles sejam indicados nos campos correspondentes.

Rendimentos tributáveis são salários e benefícios; já rendimentos não tributáveis incluem poupança, indenizações, lucros e dividendos e bolsas.

Revise o formulário (não pule esse passo)

Quando você chegar ao fim do preenchimento, relaxe e descanse um pouco.

Depois, com a cabeça arejada, revise cada um dos itens preenchidos para que não haja nenhum erro.

Lembre-se: erros podem fazer você cair na malha fina, o que significa ter que enviar a declaração novamente, corrigida, e ainda por cima pagar multas.

Envie a declaração – e não deixe pra última hora

Por fim, depois de todos os passos acima, é hora de enviar a declaração.

Aqui, a dica é: não deixe para fazer isso na última hora.

Na última semana, é comum que os servidores da Receita Federal fiquem um pouco mais lentos em razão do grande número de acessos simultâneos.

Quem consegue enviar antes tem mais tranquilidade em todo o processo. Além disso, se antecipar é um excelente hábito para o seu bolso

E mais: quem envia a declaração antes tem prioridade para receber a restituição.

Portanto, nada melhor do que se antecipar e já preparar toda a documentação.

Vale lembrar que não entregar a declaração também resulta em pagamento de multa, e você certamente não vai querer gastar esse dinheiro à toa, não é mesmo?