Cartão de crédito novucard

Aposentadoria: Quando começar a pensar?

Aposentadoria: Quando começar a pensar?

Quanto mais cedo você estabelecer suas metas e traçar os seus planos, mais confortável e cedo poderá ser a sua aposentadoria.

Qual é a idade certa para começar a pensar na aposentadoria? Infelizmente, grande parcela da população tem o hábito de pensar nisso apenas depois de trabalhar por muitos anos. 

Entretanto, quanto antes você começar a planejar e poupar, mais confortável será para atingir as suas metas.

Traçar os planos com antecedência permite ainda que você tire proveito dos rendimentos e possa até mesmo se aposentar mais cedo. 

Portanto, a resposta rápida para a pergunta do título é: você deveria começar a pensar na sua aposentadoria agora mesmo.

Neste artigo, falaremos sobre a importância de dar os primeiros passos nesse sentido e como traçar seus planos e metas para o futuro.

O Brasil e o envelhecimento da população

O envelhecimento da população é uma realidade em todo o mundo, e no Brasil não é diferente.

Projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que no ano de 2060 teremos 73,5 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos – o que corresponderá a 33,7% da população.

Esse cenário impactará diretamente na diminuição da população em idade ativa em relação aos idosos, algo que pode comprometer a estrutura da Previdência Social.

Em outras palavras, menos pessoas contribuindo e mais pessoas recebendo benefícios pode colocar a sua aposentadoria em risco, se você depender apenas da opção concedida pelo Governo Federal.

Pense da seguinte forma: se você parasse de trabalhar hoje, de onde obteria renda para manter o seu padrão de vida?

Idealmente, sua aposentadoria deve ser capaz de preencher essa lacuna. Porém, como chegar lá?

Quando começar a pensar em aposentadoria?

O ideal é que você comece a pensar na aposentadoria o quanto antes.

Uma pessoa que acumula capital pensando nesse objetivo desde os 20 anos, por exemplo, terá muito mais facilidade para atingir a meta estipulada aos 50 anos do que outra que começou a poupar apenas aos 40 anos.

Em resumo: quanto mais cedo, melhor. O grande segredo aqui está no fenômeno dos juros compostos.

Eles incidem sobre o valor total acumulado, e não apenas sobre o valor inicial investido.

Desse modo, mês a mês seus rendimentos crescem levando-se em consideração o valor atualizado, e não o valor depositado.

Um exemplo simples para você entender: suponha um depósito de R$ 10 mil, rendendo 2% ao mês.

Se os juros não fossem compostos, todo mês seu rendimento seria de R$ 200 – e ao final de 12 meses você teria acumulado mais R$ 2,4 mil.

Entretanto, no caso dos juros compostos, o rendimento é calculado sempre sobre o valor atual.

Nesse caso, no mesmo período o rendimento seria de R$ 2.682.

Colocando isso em uma perspectiva de longo prazo, fica fácil perceber que os juros compostos são a chave para a garantia de uma melhor qualidade de vida.

Quanto maior for o tempo de rendimento, maior será o capital acumulado disponível para o momento que você decidir se aposentar.

Estabelecendo metas e planos

Agora que você compreendeu a importância de pensar na aposentadoria desde cedo, mesmo que você ainda esteja muito longe de se aposentar, é hora de compreender quais ações efetivas você pode colocar em prática.

Estabelecer metas e planos é o primeiro passo. Um prazo real e um número ideal tornam mais simples o planejamento.

1. Defina um prazo para se aposentar

Com quantos anos você gostaria de se aposentar? O primeiro passo é definir a idade ideal. Pode ser aos 50, aos 60, aos 70, você decide.

O importante é estipular uma idade e calcular quantos anos a partir de agora você terá até que chegue esse momento.

2. Determine o quanto você quer ganhar

O segundo aspecto é definir quanto sua renda mensal deveria ser para manter o seu custo de vida.

Suponha que não há outra fonte de renda a não ser aquela vinda exclusivamente da sua previdência privada ou dos seus investimentos.

Quanto você precisa ter acumulado para se aposentar com tranquilidade? Começar a se planejar financeiramente desde cedo vai ser um grande apoio para quando fizer esses cálculos.

3. Quanto poupar todos os meses

É aqui que entra o ponto mais importante da equação. Um exemplo: quanto você precisa poupar todos os meses para chegar aos 50 anos tendo uma receita passiva de R$ 5 mil?

É justamente por isso que, quanto mais cedo você começar, menor será a parcela necessária para acumular o capital esperado.

Se precisar de ajuda para esses cálculos, o ideal é procurar uma consultoria financeira.

Ela também poderá auxiliá-lo mostrando quais são as melhores opções de investimento disponíveis, de acordo com o seu perfil e as suas expectativas.

A importância de ter uma reserva financeira adequada

Além de acumular capital, é importante que esse dinheiro tenha rendimento, de preferência acima do crescimento da inflação.

É por essa razão que deixar o dinheiro em uma caderneta de poupança, por exemplo, não é um bom negócio atualmente.

O rendimento é baixo e não contribui muito para que você chegue mais próximo da sua meta.

Cuidar das finanças familiares, usar cartão de crédito de forma inteligente e buscar a estabilidade financeira são maneiras de chegar mais próximo dos seus objetivos.

É um hábito financeiro saudável ter uma reserva para emergências. Isso fará com que você seja menos impactado com imprevistos como perda de emprego, afastamento por doença ou algo nesse sentido.

É importante ainda investir de maneira a garantir rendimento para o seu dinheiro.

Além da previdência privada, um plano específico para aposentadoria, outros investimentos também podem ser considerados.

Busque uma opção que seja adequada ao seu perfil de investidor.

Leia também:

Flexibilidade e opções de escolha

Não é porque você planejou se aposentar somente aos 60 anos que você precisa seguir à risca essa regra.

Poupar e investir pensando na aposentadoria é importante justamente para dar flexibilidade e mais opções de escolha sobre o que fazer com relação ao seu futuro.

Nem sempre as coisas são como o planejado, mas você não será pego desprevenido em razão disso.

Por exemplo, pode ser que você mude de ideia e precise antecipar os planos de aposentadoria.

Ao depender da Previdência Social você fica sem opções, pois ou terá que atender a idade mínima de 65 anos (para homens) e 60 anos (para mulheres) ou o tempo mínimo de contribuição.

Você pode e deve ajustar o seu plano de aposentadoria ao longo da carreira.

Por exemplo: se estiver ganhando um pouco mais, aumentar a parcela destinada ao investimento é um bom negócio.

Se outras opções de investimento mais interessantes surgirem, elas também devem ser consideradas.

Por isso, é importante organizar seu dinheiro com sabedoria.

Segurança financeira na aposentadoria

Se as coisas não saírem como o planejado, não desanime. No passado, dávamos menos atenção ao planejamento da aposentadoria do que hoje.

É o que mostram dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida, que indicam um crescimento contínuo no segmento nos últimos anos.

Claro que quanto antes você começar a poupar, melhor, mas comece. A idade mais avançada não deve ser um fator limitador para os seus planos.

Evidentemente, será preciso fazer algumas adequações. Talvez não seja possível parar de trabalhar na idade desejada, mas o importante é garantir a sua segurança financeira quando não houver mais renda proveniente de um emprego regular.

Considere a Previdência Social do Governo Federal como um complemento e, se possível, não dependa exclusivamente dela.

O melhor plano de aposentadoria é aquele que se adequa às suas necessidades.

Em outras palavras, é o que não compromete o seu presente e que, ao mesmo tempo, estabelece as bases para o rendimento que você terá quando estiver com idade mais avançada.

Conclusão

É possível manter o padrão de vida na aposentadoria, sem que isso represente renunciar a qualidade de vida no presente.

Tudo vai depender das escolhas que você fizer em termos de investimento. Quanto mais informações você buscar sobre finanças, melhores serão os seus resultados.

Acima de tudo, é preciso estabelecer suas próprias metas.

Leve em consideração sua idade, quantos anos de contribuição você ainda fará e qual o valor mensal possível de depósito dentro do seu orçamento.

Tenha em mente que poupar pouco é melhor do que não poupar, portanto comece.

Não deixe para depois e não adie a tomada de decisões que serão importantes para o seu futuro.

Busque conhecimento e conheça as opções disponíveis para fazer o seu dinheiro render mais.

No blog do novücard você encontra muitos conteúdos úteis e dicas para usar o seu dinheiro de forma mais inteligente.